top of page

Aula 13: Agricultura regenerativa



Oi pessoal! Como vocês estão?

Ainda no tema da agricultura e uso da terra, nossa 13ª aula do curso foi sobre Agricultura Regenerativa e tivemos vários convidados para nos ensinar mais sobre esse tema! Na primeira parte da aula, tivemos uma apresentação do César Haag e do Marco Bellotti, do Instituto Belterra de Inovação e Sustentabilidade. Eles iniciaram falando um pouco sobre o conceito de agroecologia, que é um campo do conhecimento da natureza multidisciplinar, com ensinamentos que pretendem contribuir na construção de estilos de agricultura de base ecológica e na elaboração de estratégias de desenvolvimento rural. 

Dentro da discussão sobre agroecologia, os palestrantes apresentaram também o conceito de agricultura regenerativa, definido como “práticas de regeneração do solo que aumentam a biodiversidade, melhorando o ciclo da água, ampliando os sistemas ecossistêmicos, aumentando a resiliência às mudanças climáticas e fortalecendo a vitalidade das terras agrícolas”. Apesar desse e de outros conceitos acadêmicos citados, o César destacou como esses conhecimentos já são presentes entre os agricultores há muitos anos mesmo sem fazerem parte desse ambiente.

Em sua fala, Claremilta dos Santos, ativista do Instituto Zé Cláudio e Maria contou sobre as atividades realizadas no âmbito do Instituto para manter a floresta em que estão inseridos, mas também destacou a importância de também defender quem defende a floresta. A manutenção dos ecossistemas é um grande desafio, e enquanto a agricultura regenerativa não for lucrativa, como um negócio, seus resultados não terão escala suficiente para frear a degradação ambiental. Apesar dos desafios de financiamento e inclusão socioeconômica, é importante restaurar os ecossistemas!

Depois, Marco apresentou os sistemas agroflorestais, que considera a floresta como um sistema complexo e inteligente, com uma grande complexidade de relações entre componentes bióticos e abióticos que opera sob um equilíbrio dinâmico. Para ele, a monocultura, que se popularizou na Revolução Verde e que visa a alta produtividade e a eficiência operacional, é uma técnica que possui impactos ambientais, como os desertos verdes, a quebra dos ciclos ecológicos e a degradação do solo e a desertificação. Em contrapartida, os sistemas agroflorestais mimetizam o ambiente natural, recuperando a paisagem produtiva e a biodiversidade.


Assim como o modelo Belterra, outros atores também estão trabalhando para expandir o modelo agroflorestal no Brasil, apesar dos desafios que se apresentam. Por isso, o mercado de trabalho nessa área também tem crescido e se aquecido, sendo uma oportunidade para jovens em formação!

Um exemplo disso é a Thais Mazzafera, que contou um pouco sobre seu trabalho na Eccon, uma empresa de soluções ambientais focada principalmente em restauração. Dentre os serviços envolvidos, a empresa oferece auditoria de projetos de restauração, orientação de editais de restauração para doação de mudas, acompanhamento de execução de projetos de restauração, etc.

Se você não conseguiu assistir nossa aula na íntegra, ela está disponível na plataforma da YCL!

Te vejo na próxima aula! Um abraço!

Beatriz Triani

4 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page